CURSO DE PREPARAÇÃO DE OBREIROS (CPO) – 30 ANOS


CURSO DE PREPARAÇÃO DE OBREIROS (CPO) – 30 ANOS

 

“Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem

de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.” 2 Timóteo 2:15

 

No último dia 31 de janeiro de 2020, realizou-se pela 30ª vez o culto de encerramento da temporada do Curso de Preparação de Obreiros, CPO. Neste culto, a gratidão pela 22ª turma de concluintes e a recepção da 24ª turma que inicia os estudos. Os números das turmas podem não bater com a celebração do trigésimo aniversário, mas aqui segue a história que se iniciou em 1991 nas dependências da Escola Evangélica do Buriti, Chapada dos Guimarães – MT.

 

No ano de 1990, a Junta de Missões Nacionais da Igreja Presbiteriana do Brasil, através de seu Departamento de Educação Cristã, tinha como preocupação um melhor preparo aos seus obreiros que não haviam sido formados nos Seminários Presbiterianos ou Institutos Bíblicos da Igreja. Pelo encerramento do curso intensivo que havia no Seminário Presbiteriano do Sul até 1982, que atendia pessoas com disponibilidade apenas do período de férias para os estudos teológicos, uma lacuna se abriu para dificuldade dos que não podiam estudar no período regular dos seminários.

 

A diretoria da JMN/IPB determina que fosse elaborado um curso que teria por finalidade a reciclagem teológica, treino para o campo missionário e o suprimento das necessidades da JMN, não visando tanto a área acadêmica, mas a prática pastoral. No dia 16 de setembro de 1990 reúne-se a comissão designada para tal fim: Rev. Carlos Aranha Neto, Rev. Ademir Ramos Novaes, Presb. Dirceu Cersózimo de Souza, Missª. Ana Valdete Papandré, Missª. Léa Siqueira e a convite, Rev. Rubens Pires do Amaral Osório. Trataram ali do “Curso Intensivo de Seminário para Missões”.

 

O trabalho subiu de degrau, indo para conhecimento e aprovação da Junta de Educação Teológica (JET-IPB) que pelo ofício de 21 de novembro de 1990 (Ref. JT 10/90) aprovou a criação do curso, mas mudando seu nome para “Curso de Treinamento Missionário – CTM”. E assim se fez. A primeira turma, com 44 alunos, frequentou as aulas na Escola Evangélica do Buriti, na linda Chapada dos Guimarães. Entretanto, o acesso não era fácil, e no ano seguinte (1992) transferiu-se para Patrocínio – MG, utilizando das dependências do Instituto Bíblico Eduardo Lane (IBEL) e grande participação de seu diretor, Rev. Roberto Brasileiro Silva, professores locais e funcionários, que ajudaram a dar andamento ao projeto.

 

Tudo caminhava bem, 6 turmas até então, 196 alunos recebidos, quando o curso recebe um baque. Em 1996, na reunião da Comissão Executiva do SC-IPB é criado o “Centro de Treinamento Missiológico”, também com a sigla CTM. A decisão continha o seguinte texto: CE-1996 – DOC. CLXVIII: Quanto ao Doc. 113 - Criação do CTM pela JET/IPB, a CE-SC/IPB resolve: 1) Aprovar o RI do CTM-JET/IPB conforme a proposta: “CENTRO DE TREINAMENTO MISSIOLÓGICO - Regimento Interno - Da Natureza - Art. 1º - O Centro de Treinamento Missiológico, doravante designada por CTM, é um instituto de capacitação de pastores e evangelistas egressos dos Seminários Teológicos e Institutos Bíblicos da Igreja Presbiteriana do Brasil, e outros candidatos de outra Instituição de ensino, aprovados pela Junta de Educação Teológica, com vistas ao exercício de missões no Brasil e no Exterior O que decretava o encerramento do primeiro CTM era registrado no final da decisão: Art. 22 - O CTM mantido pela Junta de Missões Nacionais, terá duração até 1998, não podendo abrir novas turmas.

 

Naturalmente a decisão trouxe tristeza, choro e muitas orações por parte dos que estavam direta ou indiretamente envolvidos com o CTM da JMN. As necessidades dos campos ainda se viam, preparo de obreiros, frentes de trabalhos abertas... Várias reuniões da JMN com a JET e mesa do SC/IPB, até que se autoriza criar novamente um curso para este espaço aberto. Com os mesmos objetivos do primeiro, começa em 1997 a 1ª turma do Curso de Preparação de Obreiros, CPO. Mudança de nome para não trazer confusão com o novo CTM, mas matérias e preparação tão iguais ao anterior.

 

O CPO continuava servindo à IPB preparando irmãos e irmãs para o trabalho do Senhor em suas igrejas. Gente de praticamente todos os estados. Para facilitar a participação de quem vinha de regiões distantes, na reunião da CE-2002 um documento (DOC. LXXX – referente ao Doc. 37) procedente do Sínodo de Pernambuco solicitava a extensão do CPO para o Instituto Bíblico do Norte – IBN, em Garanhuns – PE. No ano seguinte, 2003, no mês de Julho de cada ano a partir de então, o CPO-Nordeste começava a funcionar, enquanto se mantinha em Patrocínio, anualmente, no mês de Janeiro.

 

Em 2004 um novo baque. Mas também suplantado. Nas ocasiões dos tempos difíceis para o Curso sempre se viu a direção de Deus em permitir sua continuação. Mais uma vez constatando: é o próprio Senhor quem abre as portas necessárias para continuação das bênçãos à sua Igreja. A JMN/IPB resolve encerrar a participação financeira no CPO. Continuaria apoiando, encaminhando alunos, etc, mas não teria mais como sustentar o curso, que neste momento funcionava em dois polos. De novo tristeza, choro e muitas orações. E mais reuniões. Até que no entendimento com as direções dos Institutos Bíblicos através do Rev. Roberto Brasileiro (IBEL) e Rev. José Hernando Vasconcelos (IBN), estas casas abraçaram o CPO para dar o apoio necessário para continuação de suas finalidades.

 

E assim, debaixo da graça de Deus, o CPO tem continuado. Somados os grupos de Patrocínio e Garanhuns, de 1991 a 2020 já foram recebidos 1.332 alunos. Muitos tem continuado para uma carreira pastoral, outros para a obra missionária, outros mais como bons e preparados líderes para suas igrejas locais. Louvado seja Deus!

 

A equipe de Coordenação que há muitos anos tem atuado na direção do CPO está composta (da esquerda para a direita na foto) do Rev. Luiz Ricardo Monteiro da Cruz, Missª. Léa Siqueira, Missª. Cristina Teresa do Amaral e Rev. Carlos Eduardo Aranha Neto. Em Garanhuns estão também o Rev. Carlos Sócrates Oliveira Siqueira, Missª. Norma Suely Soares Melo e Missª. Jardelita Bispo da Silva Filha.

 

Assim somam-se as 6 turmas CTM com as 24 turmas CPO e se completa o Jubileu de Pérola para Glória de Deus, preparando aqueles que desejam servir ao Senhor da Obra. Nesse meio tempo, já são 18 anos em Garanhuns até o presente momento.

 

O versículo do início do texto é o que pauta o propósito do CPO. Este é o objetivo: ajudar os que se dispõe a servir a Deus a se prepararem melhor para o trabalho do Reino de Jesus. E que Ele receba toda a glória por isso!

 

 

Rev. Carlos Eduardo Aranha Neto

Equipe de Coordenação do CPO