UMA MIRAGEM?


“Tu me farás ver os caminhos da vida; na tua presença há plenitude de alegria, na tua destra, delícias perpetuamente.” Salmo 16.11

Eu nunca ouvi tanto a respeito de como ser feliz. Apesar disso, há uma pandemia de infelicidade no mundo. Lembro- -me de ter lido que somos uma bela geração de fotos sorridentes e de travesseiros encharcados. Existem algumas visões predominantes sobre felicidade. Uma delas é a pessimista (mal-humorada), muito bem expressa nos versos da canção “A felicidade”, composta por Tom Jobim e Vinicius de Moraes: “Tristeza não tem fim. Felicidade sim. A felicidade é como a pluma. Que o vento vai levando pelo ar. Voa tão leve. Mas tem a vida breve. Precisa que haja vento sem parar.” 

Alguns acreditam que a felicidade é uma cenoura pendurada numa vara de pescar amarrada ao nosso corpo. Você é capaz de tirar minúsculas lascas dela, mas é impossível saboreá-la de fato. A felicidade, segundo essa corrente de pensamento, é uma miragem. Nada que você tenha pode satisfazê-lo por completo.

O ponto positivo dessa visão mal-humorada é que ela critica o tipo de felicidade coisificada, quantificada, que está condicionada ao consumo, a felicidade da paixão continuada, a felicidade que quer parecer alegre o tempo todo. Apesar disso, a Bíblia ensina que você pode ser feliz. Ela aponta o caminho da verdadeira felicidade, o qual conduz você diretamente àquele em quem há alegria perpetuamente: Jesus Cristo.