CARTA DO PRESIDENTE DO SUPREMO CONCÍLIO DA IPB ÀS AUTORIDADES BRASILEIRAS