Reconstrução e cooperação


Reconstrução e cooperação “Então, se dispôs Eliasibe, o sumo sacerdote, com os sacerdotes, seus irmãos, e reedificaram...” Neemias 3.1 O capítulo 3 do livro de Neemias é, aparentemente, uma passagem árida, porém, traz a lume princípios importantes de liderança. Neemias adotou quatro métodos: coordenação, cooperação, aprovação e comunicação. Ele mobilizou todas as pessoas para a obra. Desde o sumo sacerdote às mulheres; desde os ourives aos mercadores; desde os nobres aos mais pobres; desde os moradores de Jerusalém aos moradores de outras cidades. Havia trabalho para todos e ninguém podia ficar de fora dessa grande empreitada. Melhor do que fazer o trabalho de dez homens é mobilizar dez homens para o trabalho. Mas, Neemias colocou cada pessoa no lugar certo, com a motivação certa e com o trabalho certo a ser feito. As expressões “junto a ele”, “ao seu lado”, “depois dele” e “entre” governam todo o capítulo. Isso mostra que é preciso coordenação e cooperação. O trabalho de um se completa com o serviço do outro. A reconstrução precisava desse planejamento estratégico e dessa ação coordenada. Neemias colocou as pessoas trabalhando perto de sua casa para otimizar o tempo e favorecer a ação rápida no caso de um ataque súbito do inimigo. Neemias tratou cada pessoa pelo nome e fez elogios a quem muito fez e a quem realizou trabalho mais modesto. Todos eram importantes e todos foram valorizados.

Reconstrução e cooperação

“Então, se dispôs Eliasibe, o sumo sacerdote, com os sacerdotes, seus irmãos, e reedificaram...” Neemias 3.1

 

O capítulo 3 do livro de Neemias é, aparentemente, uma passagem árida, porém, traz a lume princípios importantes de liderança. Neemias adotou quatro métodos: coordenação, cooperação, aprovação e comunicação. Ele mobilizou todas as pessoas para a obra. Desde o sumo sacerdote às mulheres; desde os ourives aos mercadores; desde os nobres aos mais pobres; desde os moradores de Jerusalém aos moradores de outras cidades. Havia trabalho para todos e ninguém podia ficar de fora dessa grande empreitada.

Melhor do que fazer o trabalho de dez homens é mobilizar dez homens para o trabalho. Mas, Neemias colocou cada pessoa no lugar certo, com a motivação certa e com o trabalho certo a ser feito. As expressões “junto a ele”, “ao seu lado”, “depois dele” e “entre” governam todo o capítulo. Isso mostra que é preciso coordenação e cooperação. O trabalho de um se completa com o serviço do outro. A reconstrução precisava desse planejamento estratégico e dessa ação coordenada.

Neemias colocou as pessoas trabalhando perto de sua casa para otimizar o tempo e favorecer a ação rápida no caso de um ataque súbito do inimigo. Neemias tratou cada pessoa pelo nome e fez elogios a quem muito fez e a quem realizou trabalho mais modesto. Todos eram importantes e todos foram valorizados.