QUANDO O AMOR É PROVADO


“Acrescentou Deus: Toma teu filho, teu único filho, Isaque e... oferece-o ali em holocausto...” Gn 22.2

Abraão, o pai da fé, depois de esperar vinte e cinco anos o nascimento de Isaque, o filho da promessa, recebe de Deus, anos depois, uma ordem expressa: “Vai ao monte Moriá, e oferece ali, em holocausto, a Isaque, teu único filho, a quem amas”. Abraão não discute com Deus nem protela a ação. Naquela mesma madrugada, levantou-se, levando consigo dois moços, saiu com Isaque em direção ao monte apontado por Deus.

Aquela deve ter sido uma dura jornada. Abraão está levando seu filho para o holocausto. Depois de três dias de caminhada, avistam o monte. Abraão, então, diz aos seus moços: “Fiquem aqui. Eu e o menino iremos até lá e depois de termos adorado voltaremos”. Abraão colocou a lenha sobre os ombros de Isaque e ambos partiram rumo a Moriá. No caminho, o menino pergunta ao pai: “Meu pai, eis aqui a lenha, o fogo e o cutelo, mas onde está o cordeiro para o sacrifício?”.

Abraão respondeu: “Deus proverá para si, meu filho, o cordeiro”. No monte Moriá, Deus proveu um cordeiro substituto e Isaque foi poupado. Mas, dois mil anos depois, o Filho de Deus também foi colocado no altar do sacrifício, mas Deus não o poupou, antes, por todos nós o entregou. Como Cordeiro que tira o pecado do mundo, Jesus morreu na cruz, em nosso lugar, para nos dar eterna redenção.

Rev. Hernandes Dias Lopes