GRAÇA QUE CONSTRANGE


“Nínive tem mais de cento e vinte mil pessoas... Não deveria eu ter pena dessa grande cidade?” Jonas 4.11

O ensinamento final de Deus ao profeta Jonas aponta contundentemente para sua implacável graça. Jonas teve pena da planta, que nasceu em um dia e morreu no outro, mas não conseguia se compadecer do povo de Nínive que estava cego e jazia no maligno, estando contaminado pelo pecado e incapaz de vencê-lo sozinho, sem um mover gracioso da parte de Deus.

Foi esse o mover de Deus para com Nínive, esse também foi o mover de Deus para com Jonas e esse é o mover de Deus para conosco. Afinal de contas não existe nenhuma atitude de nossa parte que leve Deus a nos amar mais ou menos. Ele nos ama porque decidiu nos amar e nos escolheu para ser seu povo. Ele nos ama porque Jesus entrou na história para morrer em nosso lugar e pelo seu sangue fomos justificados.

Que o entendimento da graça de Deus possa constranger o seu coração diariamente e transformar cada uma de suas atitudes. Como já escreveu certa vez o jornalista e escritor norte-americano Philip Yancey: “Deus nos ama muito e por isso nos aceita como somos e estamos, mas ele nos ama demais para permitir que continuemos do mesmo jeito”. É por isso que ele nos ensina, é por isso que ele nos conduz à maturidade espiritual. Que sejamos todos constrangidos pela irresistível graça de Deus.